quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Hoje Descobri #3

Que todos somos vulneráveis ao cancro.

Que ele cada vez mais se aproxima da minha família e dos que me rodeiam. Primeiro foi o amigo da minha mãe, depois a prima em segundo grau, depois a cunhada da avó, depois a ex-tia.

E que pares por aí meu filho da mãe, aviso-te desde já. Juro-te que não respondo por mim e ataco-te sem dó nem piedade, ainda que tenha medo de ti. Não por mim, que posso bem contigo. Mas não posso nem consigo aguentar que atinjas algum dia aqueles que mais amo.

14 comentários:

  1. é um facto todos os dias estamos todos sujeitos a essa ameaça, só que normalmente o nosso organismo ataca-o mal surge e acaba com ele... já perdi a conta aos vizinhos que morreram/sofrem de cancro... mais alguns familiares :S

    ResponderEliminar
  2. Eu sei bem o que isso é! Mas nós somos, de longe muito melhor que esse filho da mãe. Beijinhos,
    Bomboca do Amor.

    ResponderEliminar
  3. Estou contigo nessa luta! Já falei sobre o assunto algumas vezes no meu blog. Farei a minha tese de mestrado nessa área, tentando dar o meu pequeno contributo para tentar descobrir uma inovação para o tratamento, por mais pequenina que seja!

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente é uma patologia cada vez mais frequente, que afecta cada vez mais pessoas jovens! Já lidei com muitos doentes oncológicos, alguns sem cura, e com o destino fatal assinado. É triste, muito mesmo. E ainda nos dói mais quando acontece com familiares e amigos. Mas temos de ser fortes. E acima de tudo, estar muitos atentos e tentar prevenir, ao máximo...

    ResponderEliminar
  5. Sabes vi num programa de tv que pessoas com alergias estão menos vulneráveis ao cancro do que as pessoas que não tem alergias, porque o sistema das pessoas com alergias está mais reactivo.
    Na minha família não existiu ainda nenhum caso de cancro, nem dos antepassados dos que ainda se têm conhecimento, acho isso incrível. O único chato é os diabetes da parte da família do meu pai.

    ResponderEliminar
  6. Não é fácil lidar com ele. Eu também conheço algumas pessoas que vão lutando contra ele perto de mim. E acredito que é possível sobreviver-lhe. Mas também acredito que não seja fácil e que a primeira impressão, antes de decidir lutar contra ele, deve ser de sentir um medo do caraças.

    ResponderEliminar
  7. A minha mãe foi operada a um cancro da mama, há quatro anos e fez um longo período de quimioterapia e radioterapia. É uma mulher de armas :D Agora parece estar tudo sob controlo, mas ela ainda está no período de vigilância.

    ResponderEliminar
  8. :S às vezes tento nem pensar nisso, já me levou um tio muito próximo... outro felizmente conseguiu vence-lo...

    ResponderEliminar
  9. nao s vai meter contigo nem com qem amas :)

    ResponderEliminar
  10. Como eu te entendo. Já me causou tanta dor esta maldita praga. A única diferença do teu discurso para o meu, é que eu não tenho tanta força para o combater :s

    ResponderEliminar

Troco gomas por comentários.